Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lendo e escrevendo

Lendo e escrevendo

Um Muro no Meio do Caminho (|||)

04.11.19, Almerinda

Shayma, a mulher que ficou só

 

"Todas as frases da sua história começam com um No.

No children, no husband, no parents. No food, no doctor, no answer.

Nada.

Pode alguém viver nessa palavra que nem o abismo consegue definir?

Pode a mulher que a ouve ficar ali, em frente dela, sem palavras,

no words,

sem chão,

no ground,

sem ar que se respire,

no breath?

Silêncio. Si-len-ce. A única palavra que lhe poderia ensinar. Não percebo se a compaixão me esvazia ou me enche de raiva. Uma indignação estéril, a pior."

in "Um Muro no Meio do Caminho" de Julieta Monginho

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.