Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lendo e escrevendo

Lendo e escrevendo

Street Books

07.07.20, Almerinda
De facto, se se quer ver alguma coisa que valha a pena, é na RTP2. Por acaso, porque tinha acabado de ver La Otra Mirada e a intenção era apagar a televisão, dei com este documentário maravilhoso que me comoveu. Um projecto incrível em Portland, Oregon. Streetbooks, ou seja, uma Biblioteca Itinerante.Tão simples e tão lindo como isto: levar livros a quem vive na rua. Pessoas que um dia deixaram de ter dinheiro para pagar a renda e que foram postas na rua. Pessoas que não têm um (...)

A Peste, Albert Camus

10.05.20, Almerinda
“A Peste”, Albert Camus, 1947   Há livros que parece que estão à nossa espera para serem abertos e lidos na hora certa. Foi a leitura de uma crónica num jornal em que se fazia referência a “A Peste” de Camus, que me levou a encontrar este livro, na minha estante, no meio de muitos outros. Logo no início, o narrador situa-nos num dia de Abril nos anos 40 do século passado em Orão, uma cidade desinteressante como tantas outras: árida, sem pombas, sem árvores, sem jardins (...)

Um Muro no Meio do Caminho, Julieta Monginho

19.11.19, Almerinda
Um Muro no Meio do Caminho, Julieta Monginho, 2017 Um livro extraordinário.O primeiro que li de Julieta Monginho e que recebeu por unanimidade o prémio Fernando Namora. Já antes, em 2008, recebera o Grande Prémio de Romance e Novela da APE por outro livro, sendo significativa a sua produção literária. Depois de ter lido “Um Muro no Meio do Caminho” só posso dizer que tenho andado distraída, pois Julieta Monginho é uma escritora que merece ser conhecida e divulgada. No Verão (...)

Sangue do meu sangue, Michael Cunningham

01.11.19, Almerinda
Sangue do meu Sangue, Michael Cunningham, 1995 A opinião de escritor admirável que tinha àcerca de Michael Cunningham quando, há já alguns anos, lera “As Horas”, foi reforçada com a leitura de “Sangue do meu Sangue”. A história começa em 1935, com Constantine, um rapaz grego que um dia partirá para os Estados Unidos para fugir da pobreza, movido pela quimera da terra das oportunidades. Aí namorará, irá casar e ter três filhos. A tensão entre o casal resulta não só (...)

Memórias - Visconde Juromenha

28.06.19, Almerinda
Memórias Estou convencida que a classe docente é, porventura, uma das que têm mais histórias para contar. Vidas atribuladas, com a casa às costas, não sabendo como vai ser o ano a seguir. Uma terra nova, uma escola nova, novos colegas, novos alunos. Cada ano era sempre uma novidade, mesmo que se tivesse a sorte ou o azar de ficar na mesma escola. O primeiro ano é quanto a mim inolvidável. Antes do 25 de Abril, na velhinha Escola Comercial e Industrial de Olhão, que tinha ganho (...)