Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lendo e escrevendo

Lendo e escrevendo

#16 RBG

17.12.20, Almerinda

RBG.jpg

#16 RBG

Estas 3 letrinhas e o povo americano sabia que correspondiam ao nome da grande juíza do Supremo dos EUA Ruth Bader Ginsburg. Faleceu a 18 de Setembro. Grande perda, na pior altura. Quem não sabia quem ela era, ficou a saber por a sua morte ter ocorrido em plena campanha eleitoral dos EUA, sendo ela uma voz firme, corajosa e decisiva contra Donald Trump, que a apelidou de bruxa.

Feminista. Progressista. Foi uma das nove mulheres a entrar em Direito em Harvard em 1956 e a melhor aluna da sua turma em Columbia. Em 1993 tornou-se a segunda mulher a integrar o Supremo Tribunal dos Estados Unidos da América por nomeação do então Presidente Bill Clinton.

Num artigo de Joana Mortágua ela refere que para milhões de norte-americanos RBG era verdadeiramente amada e isso está bem patente quando a juíza convidada no programa Late Night caiu e partiu duas costelas. Stephen Colbert, anfitrião do talk show disse: "Ela é demasiado preciosa. Esqueçam a toga preta, ela devia andar embrulhada em papel com bolhas de ar e ser levada pelas escadas como se fosse um ovo Fabergé”.

Na minha colagem, escolhi quatro citações de RBG

“I was a law school teacher, and that’s how I regard my role here with my colleagues, who haven’t had the experience of growing up female and don’t fully appreciate the arbitrary barriers that have been put in women’s way”

“I would like to be remembered as someone who used whatever talent she had to do her work to the very best of her ability”

“Women belong in all places decisions are being made”

“Fight for the things that you care about, but do it in a way that will lead others to join you”

Entretanto, o grande receio de que Trump fosse reeleito não se concretizou. Joe Biden foi eleito, mas os estragos deixados pelo seu antecessor, irão demorar muitos anos a serem ultrapassados.

 

 

 

3 comentários

Comentar post