Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lendo e escrevendo

Lendo e escrevendo

Vozes Anoitecidas, Mia Couto

23.06.22, Almerinda
(da série leituras pré blogue) Vozes Anoitecidas, Mia Couto, 1986Não por Mia Couto ter recentemente sido galardoado com o Prémio Camões, mas porque estive recentemente em Moçambique, no distrito do Gilé, província da Zambézia, senti uma enorme necessidade de reler o livro com que há já muitos anos atrás me estreara no contacto com este autor moçambicano.Queria confrontar a ideia da estranheza de certas personagens, dos feitiços, dos encantamentos, isto é, de um outro mundo (...)

Volta ao Mundo em Vinte Dias e Meio, Julieta Monginho

13.06.22, Almerinda
  Volta ao Mundo em Vinte Dias e Meio, Julieta Monginho, 2021 O terceiro livro que leio da autora e sempre a surpreender-me. O Rijksmuseum em Amsterdão que nunca visitei é central neste romance. Aliás, desta cidade, apenas conheci o aeroporto e o seu parque exterior com milhares de bicicletas estacionadas. Para me/nos orientar neste museu e nos seus quadros, em apêndice no final do livro, a autora faz-lhes uma referência. Tal como fiz em “O Nervo Ótico” de Maria Gaínza, (...)

O Autocarro de Rosa Parks

10.06.22, Almerinda
Este ano, provavelmente já teria ido, pelo menos uma vez à Feira do Livro. Já teria percorrido os pavilhões ao longo das duas áleas que ladeiam o Parque, já teria olhado maravilhada para os jacarandás, já teria encontrado uma sombra para me sentar a descansar e a beber água, já teria folheado os livros que tinha comprado, tentando descobrir alguns dos que faziam parte da lista a que vou acrescentando sempre mais um... O ano passado fui lá três vezes, para matar uma imensa (...)

Maria Stuart, Stefan Zweig

30.04.22, Almerinda
Maria Stuart, Stefan Zweig, 1935 Em 2018, li quatro contos de Stefan Zweig, por ocasião de uma das sessões do Clube de Leitura da Livraria Bertrand do Chiado em que fomos convidas/os a descobrir a obra deste autor austríaco. Fiquei tão entusiasmada com a capacidade do autor de analisar as personagens, que na altura decidi que no futuro havia de ler uma das diversas biografias que Zweig escreveu. Há pouco “tropecei” neste “Maria Stuart” num leilão online de livros duma (...)

71 anos

28.04.22, Almerinda
71 anos Não sei o que o meu smartphone me vai dizer amanhã quanto tempo a mais estive ligada a ele. Mal me levantei, a indicação de que havia mensagens no facebook, no sms e no whatsapp “obrigou-me” a abri-las antes de tomar o pequeno-almoço. São rotinas a que já não escapamos. Tinha levado a “Visão” da semana passada para a cozinha porque queria ler a entrevista do Sérgio Godinho a propósito dos 50 anos de “Os Sobreviventes” e as “Novíssimas Cartas (...)

Contos de Cães e Maus Lobos, Valter Hugo Mãe

06.04.22, Almerinda
Para ti, Zita, irmã do coração, que tiveste o carinho de me oferecer este belo livro num dia de anos.  “Contos de Cães e Maus Lobos”, Valter Hugo Mãe, 2015 À medida que fui lendo “Contos de Cães e Maus Lobos”, o quinto livro que leio de Valter Hugo Mãe, fui percebendo que me iria ser difícil escrever sobre os doze contos deste livro. Achei mesmo que me iria limitar a transcrever alguns excertos mais significativos que me tinham mais impressionado. Para além da escrita (...)

Homens Imprudentemente Poéticos, Valter Hugo Mãe

29.03.22, Almerinda
“Homens Imprudentemente Poéticos”, Valter Hugo Mãe, 2016 De cada vez que leio Valter Hugo Mãe percebo que estou a entrar num mundo muito próprio, em que a língua se transfigura e em que as personagens têm de ser lidas para além da capa exterior que as cobre. Comecei com o Sr. Silva e os companheiros de fim de vida no lar “Feliz Idade” em “a máquina de fazer espanhóis”(2010); seguiu-se Halla nos fiordes da Islândia, a sobreviver à morte da irmã gémea em “A (...)

11 -12 -13

17.03.22, Almerinda
11-12-13 Ano 2020 11 de Março – acabaram-se os beijinhos. Portugal registava 60 pessoas infectadas com covid 19 e eu desmarcava tudo a partir dessa data. Segundo a OMS, tinha-se entrado em pandemia e a doença já tinha atingido 114 países. O funeral da Conceição foi o último acto público a que fui antes de me fechar em casa. 12 de Março – o 1º dia em que fico em casa. 13 de Março – Portugal entra em estado de alerta até dia 9 de Abril; já se registaram 112 pessoas (...)

A senhora da fotografia

08.03.22, Almerinda
A senhora da fotografia Hoje, ao olhar para a primeira página do Público, percebi que estava naquela fotografia a minha Notícia do Dia para o SPGL. Era óbvio. A guerra e os seus efeitos na vida das mulheres. É o 8 de Março, Dia Internacional das Mulheres. Em muitos sítios, muitas empresas e instituições lembram-se de oferecer neste dia gerberas e outras flores às mulheres, para lhes dizer que pensam nelas, que gostam muito delas, que as respeitam… bla, bla, bla. Sempre achei (...)

O Atalho dos Ninhos de Aranha, Italo Calvino

06.03.22, Almerinda
O Atalho dos Ninhos de Aranha, Italo Calvino, 1947 Gosto sempre de ler um livro com um prefácio que me ajude a contextualizá-lo nas suas várias facetas. Em 1964 Italo Calvino fez um prefácio para o seu “O Atalho dos Ninhos de Aranha”de 1947. É um longo prefácio em que por várias vezes retoma a frase inicial “Este romance foi o primeiro que escrevi”. Escrito pouco depois da Libertação e da sua experiência como membro da Resistência à ocupação nazi, Calvino reflecte (...)